Archive for Novembro 2014

As atividades do mês de outubro!

por em , , , , , 1

Halloween

O dia  31 de outubro foi... um dia assustador!!!! ... mas muito guloso!
Numa primeira fase, as crianças e jovens do IPO esculpiram uma abóbora... nada assustadora, segundo consta!
De seguida, aproveitando a polpa da abóbora fizeram doce abóbora!
Por fim, um lanche aterrador, mas delicioso... o doce estava divinal!
As decorações aterradoras também não foram esquecidas, apesar de não assustarem ninguém! 






São Martinho

No dia de São Martinho, os nossos alunos exploraram e dramatizaram a Lenda de São Martinho. 
Mas, como é nosso costume, não faltou a exploração gastronómica do tema. 
As castanhas foram lavadas, retalhadas e assadas pelos nossos alunos e degustadas por todos os que estavam internados no serviço de pediatria do IPO. 
As atividades de expressão plástica também foram acolhidas com agrado... com a ajuda das mães!







TeleAulas

Neste mês, iniciámos as nossas TeleAulas com os nossos parceiros: a Escola do Hospital de Santa Maria e a EBI da Bobadela. 
Apesar das peripécias...as TeleAulas foram um sucesso!
Com a Escola do HSM, no dia 29 de outubro, descobrimos a história da iluminação. Uma TeleAula em que até foi necessário o uso do telemóvel para conseguirmos comunicar... por isso, falharam as fotografias. Garantimos que, apesar dos percalços, o objetivo foi cumprido e aqui colocamos uma foto do trabalho posterior à TeleAula.


Na TeleAula com a EBI da Bobadela, os nossos alunos tiveram a oportunidade de construir um caleidoscópio.
Algumas expressões dos nossos alunos: "que giro!", "uau...", "bué da fixe!" (neste caso, fizemos a chamada de atenção para o calão...).



Conquistas com Luz

por em , , , , , , 1

A par dos trabalhos escolares, andámos entusiasmados a realizar pesquisas sobre a evolução da iluminação, construindo algumas fontes de luz com diversos materiais.




Todos estes trabalhos foram apresentados numa TeleAula com a escola do IPO... Uma TeleAula um pouco diferente em que tivemos de utilizar telemóveis para conseguirmos ouvir a malta do IPO.
Pusemos a lucerna, a vela, o candelabro, lâmpadas, lamparinas e lampiões…a contar como tudo se passou e, no final, realizámos umas palavras cruzadas sobre este tema.




Num ano dedicado à Luz conseguimos ter um novo parceiro para colaborar connosco, o Museu da Eletricidade.
Construímos carros ecológicos, que captavam luz por painéis fotovoltaicos... para os nossos alunos esta foi uma palavra difícil de repetir mas a atividade facilitou o seu significado.
Por fim, participámos todos numa corrida numa pista especial.





Foi uma tarde muito divertida!!!

Segurança Infantil

por em , , 1


Decorreu recentemente no Hospital de Dona Estefânia, numa iniciativa promovida pelo Gabinete de Gestão de Risco e pelo Gabinete de Comunicação, um conjunto de ações de Promoção da Segurança Infantil - "Está seguro que as crianças estão seguras?".

Os nossos alunos participaram nas atividades desenvolvidas neste âmbito e também colaboraram na iniciativa elaborando dois folhetos informativos sobre o tema.


Este desdobrável foi elaborado pela nossa aluna Jaíne e aborda alguns dos cuidados gerais a ter com os bebés, com as crianças e com os adolescentes.


Este folheto aborda questões mais específicas relativas a situações de queimaduras e foi elaborado pela nossa aluna Márcia.

Agradecemos as orientações da Srª Enfª Idalina Bordalo!

Da Terra e do mar sem luz

por em , , , , , , 1



Depois de visionarmos o vídeo "The Earth at night", ficámos a saber que os países e continentes mais iluminados à noite são a Europa, os Estados Unidos da América, São Paulo e Rio de Janeiro (no Brasil), Japão e China. As zonas menos iluminadas são a Rússia e o continente africano. Os locais mais iluminados são regiões mais desenvolvidas economicamente e onde habita um número elevado de pessoas. As localidades menos iluminadas são mais pobres e mais desertas.
Verificámos a existência de pontos luminosos nos oceanos que são de barcos e de poços petrolíferos. Os satélites que enviam estas imagens para a Terra permitem a identificação de barcos que se encontram a pescar em zonas onde não é permitido fazê-lo.
Este filme foi realizado a partir de fotografias tiradas ao planeta Terra por um satélite durante vinte e dois dias.
E da terra partimos para as profundezas do mar e descobrimos várias curiosidades interessantes como as seguintes:
  • O mar mais profundo é mais escuro: de um azul mais profundo; 
  • As zonas mais verdes do mar são as menos profundas; 
  • Do menos profundo para o mais profundo: o Oceano Ártico, Oceano Antártico, Oceano Índico, Oceano Atlântico. O mais profundo é o Oceano Pacífico; 
  • Nos vários oceanos existem lugares muito profundos a que se chama fossas. Como exemplo:
  1. No Oceano Pacífico: Fossa das Marianas: 10 915 metros. 
  2. No Oceano Atlântico: Fossa de Porto Rico: 8605 metros. 
  3. No Oceano Índico: Fossa de Java: 7125 metros.
  • As zonas mais profundas dos oceanos chamam-se abissais e os seres que lá vivem também. O adjetivo vem da palavra abismo que significa profundeza, poço, precipício;
  • Esses seres têm um aspeto estranho e desenvolveram capacidades diferentes dos que vivem nas zonas menos profundas. Exemplos destes seres temos o blobfish, o peixe-dragão, o peixe-ogro, caranguejo-aranha, diabo-do-mar e outros que ainda não têm nome porque não estão estudados;
  • À semelhança da nossa atmosfera, também o mar tem várias camadas de profundidade como se vê na seguinte figura:
  • A partir dos 4000 metros, a luz do Sol não entra; 
  • A pressão é tão forte que nenhum ser humano sobrevive; 
  • A temperatura é muito baixa; 
  • Os seres abissais desenvolveram capacidades para se adaptar a estas regiões, chegando a emitir luz própria (bioluminescência); outros têm a boca muito grande para apanhar facilmente comida; o estômago é largo e elástico para armazenar grandes quantidades de comida por muito tempo; alguns têm tentáculos e espinhos que servem de sensores para capturar as suas presas.
peixe-ogro
peixe-dragão

blobfish
Não são criaturas incríveis?
Na nossa próxima publicação, vamos voltar a falar de bioluminescência, a propósito de um inseto que parece uma barata brilhante. Quem adivinha?